Testemunhos

TENDINITE CALCIFICADA LONGA PORÇÃO DO BICÍPITE E SUPRE-ESPINHOSO DO OMBRO DIREITO

Fui Diagnosticada com Tendinite calcificada do ombro direito e artroses nos dedos esquerdos em 2016.

Como tenho um filho acamado, diariamente faço um esforço contínuo e uma repetição de movimentos nas actividades com o meu filho.

Com isto os meus problemas do ombro e dos dedos não melhoravam, apenas pioravam ao ponto de me limitarem em certas tarefas.

O meu grau de dor no ombro e pulso/dedos era de 8, numa escala de 0 a 10.

Em Junho 2016 a Interpass saúde apresentou-me uma solução que me poderia dar qualidade de vida, ajuda e manutenção dos meus problemas articulares e musculares.

Após terminada a terapia senti um alívio imediato e no dia seguinte ainda ressentia os sinais de melhora.

O meu grau de dor tinha diminuído para 4, numa escala de 0 a 10.

Actualmente utilizo a Magnetoterapia diariamente que me retira dores e me da mais força para trabalhar com o Paulo (levanta-lo, tranferir para a cadeira de rodas, muda-lo, etc.).

O meu filho utiliza a esteira nocturna e o feedback que recebi dos fisioterapeutas nos dias seguintes a esta terapia é que ele estava mais maleável, era mais fácil trabalhar toda a parte muscular do Paulo.

A magnetoterapia tornou-se então uma ferramenta indispensável para me dar maior qualidade de vida nas minhas tarefas diárias.

MARIA ISABEL SILVA – Nº DE SÓCIA: 93932 – 65 ANOS – NOGUEIRA DO CRAVO

TENDINITE CRÔNICA DO BRAÇO

Foi-me diagnosticado tendinite crónica calcificada do braço a cerca de 5 anos.

Numa escala de 0 a 10 o meu grau de dor era de 8.

Fazia regularmente tratamentos ao braço pela consulta da dor, e, apesar de melhorar aquando dos tratamentos se fizesse algum esforço voltava a sentir-me limitada e tinha que voltar as consultas.

Não conseguia pentear o cabelo nem muitas das tarefas domésticas de casa.

Em Outubro , fui contactada pela Interpass a fim de me mostrarem uma nova terapia.

Quando o técnico realizou a terapia de imediato senti o braço com mais mobilidade e conseguia movimentar o meu pescoço naturalmente.

Decidi continuar com a terapia e faço regularmente os tratamentos.

Nunca mais tive de ir as consultas da dor e o meu grau de dor diminuiu para um 2, numa escala de 0 a 10.

MARIA DA CONCEIÇÃO SILVA – 74 ANOS – OLIVEIRA DE AZEMÉIS

ARTROSE LOMBAR; HÉRNIA LOMBAR; TENDINITE OMBRO ESQUERDO; ARTROSE JOELHO BILATERAL

Não conseguia levantar os braços, secar o cabelo, tinha muita dificuldade em levantar-me quando passava algum tempo sentada.

Sentia-me limitada.

Ficava extremamente cansada com muito pouco.

Em Agosto de 2016 foi-me apresentado pela Interpass uma terapia inovadora para problemas articulares e musculares.

Veio a minha casa um técnico muito simpático fazer-me apresentação e um tratamento da terapia.

No final da terapia senti-me muito bem.. notei logo diferença!

O meu joelho ficou de imediato mais leve e a minha dor passou de um grau 5 para um grau 2, numa escala de 0 a 10.

Decidi que queria continuar com a terapia e a sensação era a mesma quer nas costas quer nos ombros. Leveza e conforto.

Gosto da terapia!

A magnetoterapia ajuda-me a ter o conforto dentro de minha casa e consequentemente não ter que ir para clínicas de fisioterapia ou procurar outro tipo de tratamentos.

INÊS PIMENTA – NºSÓCIA: 110691 – 61 ANOS – BARCELOS

 

TENDINITE SUPRA ESPINHOSO DIREITO.

Sou cabeleireira, tenho um salão e a minha profissão exige de mim um esforço diário com o braço direito.

Foi-me diagnosticado uma tendinite no ombro direito em 2014 e o meu grau de dor era sete numa escala de zero a dez.

Não conseguia movimentar o braço para a parte de trás e não conseguia pentear-me em dias de dor mais acentuada.

Em Novembro de 2016 foi-me apresentado pela interpass uma nova terapia, a magnetoterapia.

Decidi continuar com os tratamentos porque notei uma diferença logo no primeiro tratamento e decidi que a magnetoterapia era um bom substituto a medicação para as dores que tomava.

Neste momento realizo todos os dias a terapia noturna pois sinto-me bem.

Quanto aos difusores utilizo sempre que necessário para diminuir a dor resultante do meu trabalho diário, e de imediato sinto a melhoria e o meu grau de dor baixa para zero numa escala de zero a dez.

ANABELA GONÇALVES – SÓCIA Nº69859  – BRAGA

Tendinite

Sofro de dor na cervical e nos ombros há cerca de 10 anos. Sempre tive trabalhos de bastante esforço físico, e acredito que isso tenha despoletado tais problemas. Atualmente, sou empregada domestica, e para tudo preciso de exercer força com os braços. Nos últimos tempos a dor começou a ser cada vez mais intensa, atingindo grau 8 (escala de 0 a 10). Acordava todas as noites com os braços e mãos dormentes, e sem posição de estar. Sentia imensa dificuldade em passar a ferro, lavar vidros, aspirar e lavar o chão. Conclusão, tanto a minha vida profissional, como a pessoal começaram a ficar afetadas.

Fui ao médico e fiz vários exames, onde me diagnosticaram tendinite. Fiz fisioterapia durante 3 meses, melhorei no momento mas não tardou em ficar igual.

Em 2016 fui contactada pelo interpass e conheci a magnetoterapia. No primeiro tratamento experimental senti um alivio de dor que me conquistou a atenção.

Após uma semana de tratamentos, comecei a sentir melhoras a nivel de mobilidade e dor. O grau de dor baixou para 5 e deixei de acordar durante a noite, portanto ajudou nos dois sentidos.

Vou recomeçar um ciclo de tratamentos, pois uma vez que continuo a exercer a mesma área profissional, é normal que a dor volte com mais frequência.

ANA CRISTINA DOS SANTOS MONTEIRO SILVA – N.º 138483 – 49 ANOS – FERRAGUDO

TENDINITE

Devido à profissão que exerço, onde carrego imensos pesos diariamente, comecei a sentir dor no ombro direito. Com o passar do tempo, para poupar o braço mais afetado, fazia mais força com o braço contrário, começando também a sentir dor no respetivo ombro esquerdo. Fui ao médico, fiz exames e foi-me diagnosticado tendinite. Por aconselhamento do médico teria de fazer fisioterapia de modo a recuperar. A dor alcançava grau 8 (escala de 0 a 10). Sentia dificuldade em erguer os braços e fazer esforços.

No meio de todo este processo, fui contactada pelo interpass a convidaram-me para conhecer a magnetoterapia. No primeiro tratamento senti, imediatamente, diferença no ombro, senti mais mobilidade e um alivio de dor.

Após um conjunto de tratamentos, comecei a sentir melhoras, o grau de dor baixou para 0 e assim permanece até hoje. Com a magnetoterapia consegui não deixar de trabalhar, nem colocar baixa médica.  Fez total diferença na minha vida.

ANABELA CLAUDINO CAETANO – N.º 82615 – 53 ANOS – RAL

TENDINITE NOS OMBROS

Há 10 anos que sofro de dor nos ombros. Depois de varios exames, foi-me diagnosticado tendinite aguda que chegou a rotura de tendão. De ano para ano a situação foi-se agravando, e no ultimo ano o médico já só me aconselhava operar. Recorri a varios tratamentos, medicamentos, levei injeções de cortisona, usei a coleira cervical,  mas nada me ajudou a melhorar. A dor alcançava grau 8 (escala de 0 a 10).

Sentia dificuldade em dormir, acordava de hora em hora com dores, não conseguia pegar pesos, estender a roupa, aspirar a casa…

Em Abril de 2016 conheço a magnetoterapia através do interpass. No primeiro tratamento que fiz senti, de imediato, diminuição de dor para grau 3.

Motivada, avancei com um conjunto de 40 tratamentos e melhorei imenso. O grau de dor diminuiu para 2, sendo que há dias onde não sinto qualquer tipo de dor. Atualmente consigo fazer trabalho no terreno, passar o dia na agricultura e a trabalhar.

PRECIOSA DOS SANTOS RIBEIRO ANTUNES – N.º 21342 – 53 ANOS – SIROIS

TENDINITE E SONO

Devido à minha profissão, passo imenso tempo sentada, a olhar para baixo ou para o computador. Ao longo dos anos neste registo, fui sentido dor na cervical com alguma regularidade, o que ajudou a causar uma tendinite no braço. A dor chegou a atingir grau 8 (escala de 0 a 10). Causava-me noites de sono bastante atribuladas, acordava muitas vezes ao longo da noite, sem encontrar posição confortável. Sentia dificuldade em pegar pesos e tudo o que causasse esforço com o braço. Era também, bastante complicado trabalhar a olhar para baixo.

Em 2016 fui abordada pelo interpass para conhecer a magnetoterapia. Percebi que poderia ser uma mais valia para todos estes problemas e decidi avançar com um conjunto de tratamentos.

Fiz cerca de 40 sessões para tratar a tendinite. Após esse tempo melhorei imenso. O grau de dor baixou para 3 e não voltou a aumentar.

Faço a terapia noturna e sinto as noites de sono completamente diferentes. Durmo continuamente, profundamente e acordo com a sensação de descanso, pronta para mais um dia.

LEONILDE MARIA JOSÉ GUERREIRO DA SILVA – N.º 95489 – 58 ANOS – AMORA

Tendinite e lombalgia

Sofro de problemas musculares com bastante regularidade. Bastava fazer o mínimo de esforço e rapidamente surgia uma lombalgia que me deixava com dores durante uma semana.

Acerca de 2 anos comecei a sentir dor, grau 8 (escala de 0 a 10), no ombro esquerdo. Não conseguia estender a roupa, passar a ferro, levantar o braço, nem pegar em pesos. A mão, devido à tendinite, estava sempre dormente.

Cerca de 1 semana antes do interpass me contactar, o nervo ciático inflamou, devido aos problemas na lombar que me acompanham há anos. Nesse momento, deixei de conseguir baixar-me, calçar-me, vestir-me e cozinhar. O simplesmente ato de respirar causava-me dores que chegavam a grau 9 (escala de 0 a 10). Fiquei totalmente dependente do meu marido e familiares.

Depois de conhecer a magnetoterapia comecei a fazer tratamentos a todos estes problemas. Após 1 semana seguida de sessões o nervo ciático desinflamou e deixei de sentir qualquer tipo de dor. Continuo a fazer tratamentos, no entanto, atualmente consigo fazer tudo naturalmente, sem precisar de auxilio.

A tendinite no ombro, após 40 sessões de magnetoterapia ficou 100% boa. Não sinto qualquer tipo de dor e voltei a sentir força no braço.

Recorro a esta terapia sempre que sinto o mínimo de alarme físico, deste modo não voltei a sentir dor aguda, nem a tomar medicação para as dores.

LUÍSA MARIA TALHÃO JUSTINO COSTA – N.º 119833-2 – 55 ANOS – ARNEIRO DAS MILHARIÇAS

TENDINITE NO OMBRO DIREITO

Há muitos anos sofri uma queda de escadas que me deixou cheia de lesões. Questões no ombro direito, começaram a ser mais frequentes e as dores cada vez mais graves. Já fiz varios exames e foi-me diagnosticado artrose na cervical, quistos nas articulações e uma tendinite aguda. A dor chegava a atingir grau 8 (escala de 0 a 10). Deixei de conseguir limpar a casa um dia inteiro, não conseguia cozinhar, aspirar, e deixei de conseguir levantar o braço.

Em 2016 conheço a magnetoterapia através do grupo interpass. No primeiro tratamento senti logo uma diminuição de dor.

Aceitei a vinda do fisioterapeuta cá a casa e comecei a fazer um ciclo de 40 tratamentos seguidos.

No fim, a dor baixou para grau 5, sendo que havia dias onde não sentia dor nenhuma. A nível de mobilidade também melhorou e a própria resistência do braço também aumentou. Atualmente, faço tratamentos noturnos, com a esteira e desde então nunca mais senti dores de coluna, nem no ombro.

OLGA MARIA FERNANDES COSTA JESUS – N.º 36698 – 58 ANOS – PORTO COVO