Testemunhos

INCHAÇO DOS MEMBROS INFERIRORES

Antes de iniciar os tratamentos de magnetoterapia, tinha grandes problemas de retenção de líquidos. Tinha as pernas inchadas e duras assim como os pés. Não conseguia ter grande mobilidade o que limitava a marcha. Quando me deslocava por um longo período sentia muita dor e dificuldade que por vezes se tornava incapacitante.

Hoje e após iniciar os tratamentos desde julho de 2015 posso dizer que apresentei uma desinflamação para metade, vista a olho nu quer das pernas quer dos pés, com aumento da mobilidade dos mesmos, o que proporciona uma melhor qualidade na marcha e na minha vida quotidiana.

FRANCISCO LAVADO – N.103758 – 66 ANOS – QUINTA DO CONDE

PÉ INCHADO APÓS CIRURGIA

Tinha uma dor de grau 7 (escala de 0 a 10), na região da cervical e lombar por artrose das mesmas, o que me limitava estar por muito tempo sentado sem apoio cervical – caso contrário quando me colocava de pé tinha episódios de tonturas. Esta dor tinha como consequência limitação da mobilidade o que me levava a sentir muito prostrado, cansado e sem vontade para fazer alguma coisa.

Depois de experimentar o tratamento, decidi continuar com o mesmo.  Tenho feito nos últimos 3 meses um plano de tratamentos estipulados pelo Fisioterapeuta do Interpass, e os resultados são positivos, já não sinto dor cervical, e sinto-me muito mais leve.

ANTONIO LUÍS SARAGOÇA BICHO – N.53879 – 86 ANOS – P.NOVO

PÉ INCHADO APÓS CIRURGIA

Eu tinha um Neuroma de Morton, no qual fui submetida a uma intervenção cirúrgica em Abril de 2014, após a mesma o meu pé ficou constantemente inchado – impossibilitava de calçar qualquer tipo de calçado, mau estar no andar; colocava gelo e o pé ao alto mas sem resultado aparente.

Em julho de 2015, sou contactada pela Interpass a apresentar-me uma nova terapia – Magnetoterapia.

Experimentei, deu resultado imediato.  Com a visita do Fisioterapeuta do Interpass, realizei um plano de tratamento por um período de 30 dias do qual prolonguei até o dia de hoje (Dezembro 2015), do qual obtive ótimos resultados. Assim, comecei a calçar outro tipo de calçado, aumento da mobilidade do pé; maior facilidade a andar e maior predisposição para exercer a profissão sem dor e sem inchaço.”

BENEDITA ALVES FERREIRA CABRAL – Nº 116659 – 63 ANOS – SETÚBAL

HÉRNIA DISCAL L4/L5

Tenho uma hérnia discal em L4-L5 com estrangulamento (bloqueio das raízes nervosas), que origina uma dor aguda de grau 10 (escala de 0 a 10) na região dos glúteos e fraqueza na minha perna direita o que originou vários episódios de queda.
Após a vinda do Fisioterapeuta, realizei um plano de tratamentos por 30 dias consecutivos, no qual, já não apresento as dores que tinha e quando a tenho é uma dor de grau 2 (escala de 0 a 10), deixei de sentir as fraquezas na perna direita, os episódios de queda acabaram.

Outra aspecto que tenho a salientar: Realizei o tratamento circulatório na minha perna esquerda por apresentar varizes com trombos e comichão intensa e, após realizar o tratamento, noto que a variz ainda está presente mas o seu trombo e comichão foram reduzidas por completo.

JOSÉ DIAS COELHO – N.º 8029 – 71 ANOS – SAMORA CORREIA

ARTROSE BILATERAL DOS JOELHOS

Tenho artrose bilateral dos joelhos, com dor de grau 10 (escala de 0 a 10), o que impossibilitava-me de andar e tinha que recorrer ao uso de uma bengala porque já não tinha confiança e estabilidade suficiente, após 30 dias de tratamento com um plano de tratamento estipulado pelo Fisioterapeuta, a dor diminui para um grau 4 (escala de 0 a 10), já não necessito de recorrer ao uso de bengala, ando com maior facilidade e com maior estabilidade. Os médicos disseram que eu tinha má coluna da zona cervical até à lombar em total sofrimento com dor de grau 10 (escala de 0 a 10), no qual não tinha tratamentos possíveis.

Desde que faço os tratamentos com magnetoterapia a minha dor ainda existe, mas passou para um grau 4 (escala de 0 a 10)

Por iniciativa e curiosidade, comecei a realizar o tratamento de Reflexologia na planta dos pés e por ter um corpo pesado achei que seria pertinente. Ao fim de 15 dias de tratamento sinto-me melhor, mais leve e com maior facilidade de movimento.

MARIA HENRIQUETA DIAS FARIA – N.º 8029 – 65 ANOS – SAMORA CORREIA

TRATAMENTO PARA A CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA

Fui contactada pelo Interpass Saúde para conhecer uma nova terapia – magnetoterapia.
Depois de uma breve apresentação e de alguma pesquisa, achei que seria pertinente aceitar o desafio e experimentar esta terapia, apesar de não apresentar nenhum sintoma doloroso especifico. Acreditei que a terapia ia beneficiar-me a nível global.

Comecei a fazer o tratamento específico para a circulação sanguínea e, após uma semana de tratamentos, senti uma maior leveza a nível geral (bem estar), com maior predisposição para o meu dia-a-dia e equilíbrio na minha qualidade de vida.
Posto isto, comecei a realizá-los duas vezes por semana até aos dias de hoje, sentindo sempre os mesmos efeitos.

MARIA JOSÉ RIBEIRO – N.º 52028 – 62 ANOS – OEIRAS

DÉFICE CIRCULATÓRIO NOS MEMBROS INFERIORES

Tenho grande défice circulatório nos membros inferiores (pernas), mais acentuada à direita, com uma coloração negra acentuada (tipo sangue pisado) na região do tornozelo, com sensação de pernas cansadas e pesadas. Também apresento um esporão no calcanhar direito que me provoca uma dor de grau 8, que me impossibilitava de realizar uma marcha normal, o que me leva a arrastar o pé e que, me leva a estragar com grande frequência os meus sapatos, tinha dificuldade em pôr-me de joelhos e consequentemente pôr-me na posição de pé e realizar as lidas da casa. Por vezes tinha necessidade de tomar anti-inflamatórios para alivio das minhas dores.

Com a vinda de um técnico especializado pela Interpass para apresentação de uma nova terapia – magnetoterapia. Senti logo um alívio da dor nos pés e na pressão que sentia. Acreditei, e decidi continuar os tratamentos previamente estipulados pelo Fisioterapeuta por um período de 60 dias.

Ao fim de 60 dias a minha coloração na região do tornozelo voltou para a uma coloração normal, as minhas pernas estão mais leves e com maior mobilidade.

Em relação ao esporão a minha dor regrediu para um grau 4, já não arrasto o meu pé o que me provoca uma maior facilidade na marcha e nas lidas da casa.

Neste momento já não me lembro da última vez que tomei um comprimido para alivio de dores.

ELVIRA PONCES – N.º 70139 – 68 ANOS – AMADORA

TENDINITE DO SUPRA ESPINHOSO

Por diagnostico de tendinite do supra espinhoso com dor de grau  8 (escala de 0 a 10) que irradiava ao longo do braço esquerdo. Pela dor os movimentos do meu ombro encontram-se limitados, não consigo chegar aos armários superiores na cozinha, ligar o esquentador, não podia pegar em pesos, por exemplo: carregar os sacos do supermercado.

Sou contactada pela Interpass, aceitei a visita do técnico especializado a casa para realização do tratamento de Magnetoterapia. Após a experiencia, senti logo um alivio de dor e um aumento da facilidade do movimento. Assim, continuei com os tratamentos previamente estipulados  pelo Fisioterapeuta e ao fim de 60 dias do mesmo apresento resultados muito positivos.

Aos dia de hoje (27/01/2016), já faço qualquer tipo de movimento com uma pequena dor muito localizada na região posterior do ombro de grau 3 (escala de 0 a 10), já carrego os sacos dos supermercados com maior facilidade, já chego aos objetos que se encontram nos armários superiores da cozinha.
Nos membros inferiores (pernas), tenho retenção de líquidos por défices no meu sistema linfático. Antes de iniciar os tratamentos, tinha um diâmetro de 31cm na zona do tornozelo esquerdo e com os tratamentos de magnetoterapia estipulados pelo Fisioterapeuta ao fim de 60 dias o diâmetro na zona do meu tornozelo encontra-se nos 28 cm.

MARIA DE JESUS GARCIA – N.º 124682 – 63 ANOS – LINDA-A-VELHA

FRATURA DA TÍBIA E PERÓNIO

Por acidentes rodoviários na adolescência, fraturei a tíbia e perónio e a articulação do pé. Até aos meus 50 anos de idade nunca apresentei qualquer tipo sintomas ou alteração de mobilidade. Após essa idade, comecei a sentir uma dor de grau 8 (escala 0 a 10) e por essa dor e defesa comecei a colocar maior força/pressão sobre o meu pé direito (chegava ao ponto de gastar a sola do chinelo direito e o chinelo esquerdo ficava normal) com deformação óssea, limitação de mobilidade com atrofio do músculo gémeo da perna um inchaço na região do tornozelo.

Sou contactado pela Interpass e aceitei a visita de um técnico especializado para a realização de tratamento de magnetoterapia, no qual senti um alivio da minha sintomatologia e alteração positiva da mobilidade. Por essa razão, decidi continuar com os tratamentos previamente estipulados pelo Fisioterapeuta.

Ao fim de 45 dias de tratamento, o meu inchaço diminui significativamente, mas com menor densidade e inflamação. Posto isto, o aumento da minha mobilidade e diminuição de rigidez articular foi muito significativo, as dores passaram para um grau 4 (escala 0 a 10) – por vezes tenho altura em que me esqueço da dor e, por sessões de fisioterapia complementada com a magnetoterapia recuperei novamente a minha massa muscular no músculo gémeo da perna.

Para complementar o meu tratamento, uso a esteira noturna na cama, e onde sinto uma sensação de alívio generalizado, com maior predisposição para o meu dia-a-dia e a dor que tinha sempre ao acordar no pé desapareceu por completo.

HELIO MARINHO – N.º 136608 – 58 ANOS – LOURES

CANSAÇO

Pelo meu/nosso trabalho chego muito cansado/a a casa apenas optei pela esteira noturna, e tenho uma sensação de como se estivesse nas nuvens (mais leve), uma maior vitalidade, maior predisposição para exercer a profissão, um maior descanso, tenho um sono mais profundo e mais duradouro.

ANTÓNIO ALMEIDA / Mº DO CARMO ALMEIDA – Nº120799 – 69/71 ANOS – CORROIOS