Circulação sanguínea

Comecei a fazer tratamentos de magnetoterapia nas pernas. Sofro de problemas circulatórios, no tornozelo direito tinha um conjunto de derrames já com muito mau aspeto.
A magnetoterapia ajudou-me bastante nestas questões, sempre que acabo um tratamento sinto as pernas mais leves e ao longo do tempo fui percebendo que os derrames deixaram de estar tão negros e salientes.
Nas noites em que durmo com a esteira noturna, passo a noite mais tranquila e com um sono mais profundo.

Autor: Clara Sofria Inácio Neves – Nº 96870 – 43 Anos – Turquel- Leiria

Circulação sanguínea

Trabalho muito tempo de pé, como consequência chego ao fim do dia com as pernas cansadas.
Tenho os vasos sanguíneos bastante salientes e no verão, com o calor, as pernas por vezes incham.
Comecei a fazer tratamentos de magnetoterapia para esta questão. Sempre que faço sessões sinto as pernas mais leves.
Como experiência uma dia fiz um tratamento apenas numa perna, e ao fim senti bastante diferença uma da outra.
Ocasionalmente, faço também tratamentos à zona lombar, para as dores musculares, e sinto um alivio de dor após os tratamentos.

Autor: Angelina Maria Fernandes Almeida Luz – Nº 151319 – 52 Anos – Vila Nova de Gaia

problemas circulatórios

Durante muito tempo sofri de dores fortes nas pernas.
Fiz vários exames mas nenhum concluiu o que se passava.
Tomava medicação para as dores, fiz 30 sessões de fisioterapia mas não resultou.
A primeira vez que fiz um tratamento de magnetoterapia senti as pernas mais leves, feliz com esse resultado comecei a fazer tratamentos com frequência.
Após 1 mês de sessões, as dores tinham passado por completo, os movimentos estavam mais fluidos e sem dificuldade.
Tenho uma familiar que andava a coxear, fiz-lhe tratamentos e em menos de 2 semanas ela começou a andar sem canadianas.
Estou satisfeita com a magnetoterapia e recomendo.

Autor: : Maria Cristina Menezes da Silva – Nº 103428 – 75 Anos – Porto

Problemas circulatórios

Com o passar dos anos foram-me aparecendo muitas varizes nas pernas, que agravaram ao ponto de parecerem hematomas, as veias estavam grossas e salientes. Ao final do dia as pernas ficavam ainda mais inchadas e tinha muito medo de sofrer uma tromboflebite.
Não vestia calções, vestidos ou saias, tinha muitos complexos devido ao aspeto que as pernas tinham.
Comecei o ano passado a fazer tratamentos de magnetoterapia para este problema, qual não foi a minha surpresa quando as varizes começaram a acalmar e a desaparecer.
Estou extremamente satisfeita com o resultado, mostro as pernas a qualquer pessoa e ficam todas surpresas com o resultado.
Ao fim do dia não sinto cansaço, sinto as pernas leves e desinchadas.

Autor: Maria Luísa Canoa Henriqueta Santos – Nº 149835 – 62 Anos – Atalaia, Lourinhã

Má circulação

Após a menopausa começaram a aparecer imensos sintomas, entre os quais má circulação, penas inchadas e manchadas.
Andava com bastante dificuldade, no verão a situação piorava e inclusive fiquei dias e dias deitada no sofá. Sou uma pessoa extremamente ativa, habituada a fazer caminhadas e a viajar, e por isso aceitar aquela situação foi-me extremamente difícil. Fui várias vezes ao medico, que me alertou para o risco de uma futura tromboflebite, tomei vários medicamentos e cheguei a fazer fisioterapia. Durante 10 anos a situação apenas piorou.
Em janeiro de 2017 fiquei a conhecer a magnetoterapia, comecei a dormir na esteira noturna e nesse verão o cenário mudou totalmente. Comecei a dormir melhor, deixei de sentir dores e as pernas deixaram de inchar, o formigueiro passou. Sinto que recuperei a minha independência e dinamismo.

Autor: Maria Bernardina de oliveira Ganhão – Nº 147674 – 65 Anos – Setúbal

Problemas circulatórios

Sou professor de educação fisica e faço tratamentos de magnetoterapia para restabelecer e recuperar a energia do dia de trabalho.
Sinto-me bastante bem e raramente me sinto cansado.
Há 15 dias comecei a sentir uma ligeira dor no cotovelo. Acredito que tenha sido uma lesão no tendão, que me impossibilitava de fazer esforços.
Recorri à magnetoterapia e fiz 1 semana de tratamentos, após esse período a dor passou e já voltei à minha atividade normal.

Autor: Herom Lopes Ghelardi – Nº 142577 – 46 Anos – Algueirão

INCHAÇO DOS MEMBROS INFERIRORES

Antes de iniciar os tratamentos de magnetoterapia, tinha grandes problemas de retenção de líquidos. Tinha as pernas inchadas e duras assim como os pés. Não conseguia ter grande mobilidade o que limitava a marcha. Quando me deslocava por um longo período sentia muita dor e dificuldade que por vezes se tornava incapacitante.

Hoje e após iniciar os tratamentos desde julho de 2015 posso dizer que apresentei uma desinflamação para metade, vista a olho nu quer das pernas quer dos pés, com aumento da mobilidade dos mesmos, o que proporciona uma melhor qualidade na marcha e na minha vida quotidiana.

FRANCISCO LAVADO – N.103758 – 66 ANOS – QUINTA DO CONDE

PÉ INCHADO APÓS CIRURGIA

Tinha uma dor de grau 7 (escala de 0 a 10), na região da cervical e lombar por artrose das mesmas, o que me limitava estar por muito tempo sentado sem apoio cervical – caso contrário quando me colocava de pé tinha episódios de tonturas. Esta dor tinha como consequência limitação da mobilidade o que me levava a sentir muito prostrado, cansado e sem vontade para fazer alguma coisa.

Depois de experimentar o tratamento, decidi continuar com o mesmo.  Tenho feito nos últimos 3 meses um plano de tratamentos estipulados pelo Fisioterapeuta do Interpass, e os resultados são positivos, já não sinto dor cervical, e sinto-me muito mais leve.

ANTONIO LUÍS SARAGOÇA BICHO – N.53879 – 86 ANOS – P.NOVO

PÉ INCHADO APÓS CIRURGIA

Eu tinha um Neuroma de Morton, no qual fui submetida a uma intervenção cirúrgica em Abril de 2014, após a mesma o meu pé ficou constantemente inchado – impossibilitava de calçar qualquer tipo de calçado, mau estar no andar; colocava gelo e o pé ao alto mas sem resultado aparente.

Em julho de 2015, sou contactada pela Interpass a apresentar-me uma nova terapia – Magnetoterapia.

Experimentei, deu resultado imediato.  Com a visita do Fisioterapeuta do Interpass, realizei um plano de tratamento por um período de 30 dias do qual prolonguei até o dia de hoje (Dezembro 2015), do qual obtive ótimos resultados. Assim, comecei a calçar outro tipo de calçado, aumento da mobilidade do pé; maior facilidade a andar e maior predisposição para exercer a profissão sem dor e sem inchaço.”

BENEDITA ALVES FERREIRA CABRAL – Nº 116659 – 63 ANOS – SETÚBAL

HÉRNIA DISCAL L4/L5

Tenho uma hérnia discal em L4-L5 com estrangulamento (bloqueio das raízes nervosas), que origina uma dor aguda de grau 10 (escala de 0 a 10) na região dos glúteos e fraqueza na minha perna direita o que originou vários episódios de queda.
Após a vinda do Fisioterapeuta, realizei um plano de tratamentos por 30 dias consecutivos, no qual, já não apresento as dores que tinha e quando a tenho é uma dor de grau 2 (escala de 0 a 10), deixei de sentir as fraquezas na perna direita, os episódios de queda acabaram.

Outra aspecto que tenho a salientar: Realizei o tratamento circulatório na minha perna esquerda por apresentar varizes com trombos e comichão intensa e, após realizar o tratamento, noto que a variz ainda está presente mas o seu trombo e comichão foram reduzidas por completo.

JOSÉ DIAS COELHO – N.º 8029 – 71 ANOS – SAMORA CORREIA