Artrose na C4 e C5

Foi-me diagnosticado artrose na C4 e C5.
O meu trabalho é fazer limpezas, o que implica fazer muito esforço com os braços. Chegava ao fim do dia com dor grau 7, escala de 0 a 10, nos ombros. Sentia regularmente dor de cabeça e nos últimos tempos comecei a sentir vertigens.
Fui ao médico e após fazer exames foi-me diagnosticado artrose na C4 e C5.
Experimentei várias terapias diferentes mas nenhuma resultou, resultavam apenas as injeções que levava cada vez que ia para as urgências.
Em 2017 fui convidada pelo interpass a conhecer a magnetoterapia. Conheci os seus beneficios e percebi que podia ser uma mais valia.
Fiz uma sequência de tratamentos e a dor gradualmente foi melhorando, baixou para grau 1 e deixei de sentir vertigens.
Encontro-me bastante satisfeita com esta terapia.

Autor: Anabela Garcia Tomé Leonardo – 124332-1 – 50 Anos – Vialonga

Artrite reumatoide

Tenho artrite reumatoide e durante anos sofri de dores pelo corpo, com especial incidência nas mãos.
Numa escala de 0 a 10, a dor era grau 8.
Comecei a fazer tratamentos de magnetoterapia vocacionados para esta questão, o grau de dor baixou para 3 e desde então não aumentou.
Fiz também sessões à circulação sanguínea, uma vez que as pernas incham quando estou mais cansada, após um tratamento sinto as pernas mais leves e menos inchadas.

Autor: Maria Augusta Simões da Silva – Nº 126654 – 72 anos – Loures

Artrose na lombar

Tenho artroses na lombar e na cervical, as vértebras estão gastas e tenho bicos de papagaio. Durante a noite não tenho posição de estar, por vezes quando acordo o nervo ciático prende e sinto bastante dor.
Sempre trabalhei no campo e carreguei muitas sacas, acredito que dai tenha desenvolvido todos estes problemas.
Todos os anos fazia fisioterapia.
Em 2017 conheci a magnetoterapia e no primeiro tratamento senti-me muito melhor. Senti um alivio de dor, na zona lombar, até a andar notei diferença.
Fiz cerca de 30 sessões e ao longo do tempo fui sentindo melhoras tanto no nível de dor como na mobilidade.
Hoje em dia faço tratamentos sempre que sinto algum indício de dor.
Estou bastante satisfeita com esta terapia.

Autor: Mariana Ferreira Alves Pereira – Nº 112089 – 67 anos – Benavente

Artrose no joelho esquerdo

Tenho artrose no joelho esquerdo. Diariamente vivia com uma moinha no joelho, que ao final do dia se tornava dor grau 6, escala de 0 a 10.

Sabia que não havia muito a fazer a não ser tomar medicação e esperar que chegasse a altura de operar.
A convite do interpass tive o primeiro contacto com a magnetoterapia. Li os testemunhos positivos e decidi experimentar para perceber como me sentia. Fiz mais de 1 mês de tratamentos e senti melhoras, a dor baixou para grau 2.

Senti confiança para deixar a medicação e a verdade é que a dor não voltou.
Vários familiares já fizeram magnetoterapia e todos eles melhoraram.

Autor: Fernando Manuel Lopes Feijão – Nº 117521 – 58 Anos – Brogueira- Torres Novas

Canal cárpico

Sou acompanhada em reumatologia há 20 anos. Desde cedo que tenho problemas de osteoartroses. Nos últimos anos o maior incomodo foi no canal cárpico.
Devido as dores deixei de conseguir abrir uma garrafa de agua e de carregar pesos.
Nos últimos anos tomei imensa medicação para este problema.
O que em anos eu não conseguia fazer, resolvi com a magnetoterapia.
Fiz 3 meses de tratamentos, alternadamente, entre o pulso esquerdo e o pulso direito.
Aos poucos a dor foi abrandando, até que deixou de me doer por completo. Neste momento até me esqueço que tenho problema de pulsos.

Autor: Maria Ernestina Marcelino Cruz Pinto Melo Carvalho – Nº 38375 – 68 Anos – Santarem

Artrose nos joelhos

Há muitos anos que sofro com dor no joelho. Com a mudança de tempo chegava a sentir mesmo dificuldade em andar, ouvia um estalo no joelho e a dor alcançava grau 7, escala de 0 a 10.
Nunca tive tempo para tratar deste problema, a vida foi exigente comigo e aprendi a viver com a dor.
Nunca tinha ouvido falar em magnetoterapia, e só acreditei quando senti efeitos no meu joelho. Para meu espanto depois de fazer um tratamento o estalar no joelho desapareceu.
Comecei a fazer sessões continuas e a dor foi desaparecendo. Baixou para grau 2 e desde então não aumentou.

Autor: Joaquim da Piedade Nogueira – nº 50201 – 70 anos – Mosteiros, Alcanede

Artrose no joelho

Sofro de vários problemas osteoarticulares. Tenho hérnias na cervical e na lombar, artrose no joelho direito, tendinite no ombro direito e fui operada há 1 mês ao canal cárpico.
Sofria de dores diárias e para combater isso tomava medicação.
Fiz fisioterapia durante 10 anos e reformei-me por invalidez.
A primeira vez que ouvi falar em magnetoterapia foi através do interpass.
O primeiro tratamento que fiz foi à cervical e à lombar e após o mesmo senti os músculos mais leves e relaxados.
Comecei a fazer tratamentos para todos os problemas que tinha e com o passar do tempo voltei-me a sentir como já há muitos anos não sentia. Foi deveras um alivio começar a viver o dia a dia sem dor, sem limitações e sem medo.
Deixei de tomar qualquer medicação para as dores, o que foi um passo muito importante para a minha saúde.
O mês passado, o meu marido torceu o pé, ficou a coxear, recorreu a magnetoterapia e após 1 semana de tratamentos ficou impecável.
Cá em casa todos usamos a magnetoterapia.

Autor: Rosa Maria Martins Inácio Rosa Oliveira – Nº 136999 – 64 Anos – Almeirim

Artrose no joelho

Tenho hérnias na L4 e L5. Devido ao disco entre as vertebras estar desnivelado, causou bastantes danos tanto na anca como no movimento das pernas.
Há muitas anos que sofro de problemas no joelho que desenvolveu para uma artrose. Tudo isto junto, fez com que começasse a coxear.
O grau de dor no joelho era 8, numa escala de 0 a 10.
Fiz vários exames e todos os anos fazia fisioterapia.
A primeira vez que fiz magnetoterapia foi à zona lombar, senti uma vibração no organismo, que me aliviou bastante as dores e o mau estar.
Comecei a fazer tratamentos, alternadamente, ao joelho e à lombar.
No joelho senti que a circulação sanguínea ficava mais fluida e mais ágil, por consequência deixei de sentir atrofio ao andar.
As dores passaram para grau 3.

Autor: José António Valente Oliveira – Nº 121214 – 55 Anos – Estarreja

Calcificação dos tecidos moles na anca

Passo muitas horas de pé durante o dia, comecei a sentir dor na anca, que se agravou até ao ponto de coxear.
Foi-me diagnosticado calcificação dos tecidos moles há 2 anos, mas já há mais de 10 anos que sofria de dor.
Sempre tomei medicação e mesmo assim sentia dores insuportáveis (grau de dor 8, escala de 0 a 10).
Conheci a magnetoterapia e após umas sessões senti um imediato alivio da dor. Fiz tratamentos diários durante 2 meses, e melhorei imenso.
O grau de dor baixou para 2 e passei apenas a fazer a terapia noturna com esteira.
Estou muito satisfeita com esta opção, acredito na magnetoterapia pela cura que teve no meu corpo.

Autor: Lígia Maria Oliveira Gaspar – Nº 44351 – 46 Anos – Vila Nova de Santo André

Artrose no joelho

Foi-me diagnosticado artroses no joelho há 4 anos. Não conseguia subir nem descer escadas, a dor era aguda e persistente, numa escala de 0 a 10 doía grau 7.
Conheci a magnetoterapia o ano passado e desde então a minha qualidade de vida melhorou muito.
Após fazer o primeiro conjunto de 15 sessões, voltei a subir as escadas sem ajuda, o joelho deixou de estalar e a dor praticamente desapareceu.
Já passou praticamente 1 ano e não voltei a sentir dor. Faço a esteira noturna todas as noites e acredito que tenha ajudado na melhora, inclusive passei a dormir melhor.

Autor: Anabela Maria Rodrigues Mirante Martins – Nº 84775 – 46 Anos – Vila Nova de Santo André